Home | Institucional | Clientes | Releases | Artigos | Produtos e Serviços | Contato

 Release
12/09/2016
ARTIGO - Diferencial competitivo começa pela seleção de materiais

* Por Sergio Rodrigues

Desde o início dos tempos o homem busca novos materiais para fazer utensílios mais eficientes e fáceis de serem produzidos. Esse processo se tornou muito mais intenso depois da Revolução Industrial quando passamos a ter mais conhecimento sobre o comportamento das matérias-primas e maior quantidade de processos de produção. De lá para cá evoluímos até chegar aos dias de hoje em que engenheiros e projetistas contam com enorme quantidade de alternativas para o desenvolvimento de produtos eficazes para atender aos mais diversos requisitos.

Ao mesmo tempo, a competitividade nunca foi tão importante. Sabemos que o que for decidido na fase de projeto definirá o sucesso do produto no mercado. Produtos mais resistentes, com design inovador, e de baixo custo, são desejados por todas as empresas. Particularmente no Brasil de hoje, tais características se tornaram indispensáveis à sobrevivência dos negócios.

Mais que a conquista pura e simples de novos mercados dentro e fora das nossas fronteiras que sempre fez parte do universo empresarial, essa corrida se tornou uma obsessão no Brasil, na proporção direta da estagnação da economia. Mas como fazer a diferença em um mundo globalizado?

Uma coisa é certa: é preciso fazer mais do que surfar na onda da variação cambial ou da localização de componentes. Sem dúvida alguma, ambas geram oportunidades para processos de inovação baseados no estudo de alternativas de projeto relacionadas a materiais e processos fabris, com melhorias na redução de custos e produtividade. Porém, o desafio desses novos tempos inclui, e como nunca, a necessidade de se fazer tudo num prazo bastante curto para largar à frente da concorrência.

O caminho para o salto competitivo nunca é fácil. Mas os cientistas tem produzido respostas tecnológicas, que passam pela adoção de novos materiais e de processos de fabricação não conflitantes com as restrições ambientais, cada vez mais presentes em nosso dia a dia. Um verdadeiro arsenal tecnológico de ferramentas de simulação computadorizada está à disposição para exploração de alternativas de materiais e processos de manufatura com enorme potencial para aumentar a competitividade de produtos.

Alguns exemplos de aplicações:
Design - Materiais e processos produtivos alternativos aliados ao uso de softwares avançados de modelagem, colaboração, e gestão do ciclo de vida de produto, viabilizam, por exemplo, a criação rápida de perfis mais arrojados de design e, em muitos casos, a troca de material permite a redução de etapas de manufatura e montagem;

Banco de dados – Softwares facilitam a escolha entre centenas de opções de materiais aquela que melhor se adapta ao projeto, considerando parâmetros de custo e disponibilidade local, com informações completas sobre os materiais, suas propriedades, custos relativos e impacto ambiental, e mecanismos de busca que indicam em ordem de relevância os materiais que atendem condições estabelecidas pelo engenheiro, oferecendo ferramentas para auditoria e gestão das informações em projetos;

Novos materiais - Softwares de simulação possibilitam a seleção e projeto de determinadas moléculas, analisando e refinando sua aplicação para criar materiais de revestimento mais resistentes, compostos mais leves e com melhor comportamento estrutural e polímeros mais sustentáveis, sendo que em breve teremos materiais como uma variável de projeto e não mais como restrição;

Análise térmico-estrutural e otimização - A evolução tem sido continua e hoje se pode reproduzir praticamente qualquer tipo de situação com simulações realistas, substituindo ensaios físicos na fase de projeto reduzindo de maneira significativa o tempo de desenvolvimento de produtos.

Manufatura aditiva – A simulação permite a fabricação de peças com geometrias proibitivas para outros processos sem necessidade de construção de moldes, o que favorece a produção de pequenos lotes e a criação de produtos customizados. Outra grande vantagem desse sistema é que o material resultante pode apresentar estruturas com organização molecular (lattice structure), gerando composto de massa reduzida com excelente resistência estrutural;

Processos de manufatura & projeto robusto – A ciência mais uma vez responde com poderosas tecnologias de simulação dos processos de manufatura, como injeção de plásticos, forjamento, estampagem, sopro e usinagem onde se pode observar o que acontece durante a transformação do material e se o produto final estará conforme o esperado, reduzindo o try-out físico e tornando a janela de processo mais robusta para absorver as inevitáveis variações encontradas no dia a dia em nível de processo, dimensional, ou inerentes ao próprio material.

Enfim, opções de melhoria não faltam, basta escolher por onde começar, sem medo de ser feliz.


*Sergio Rodrigues é engenheiro e vice-presidente da SMARTTECH







Mais informações à imprensa:
Companhia de Imprensa
Maria do Socorro Diogo – msdiogo@companhiadeimprensa.com.br
Susete Davi – susete@companhiadeimprensa.com.br
Telefones – (11) 4435-0000 e 94984-9581

 Buscar release:
   
 Imagens
Clique nas imagens para salvá-las em maior resolução
*Sergio Rodrigues é engenheiro e vice-presidente da SMARTTECH
 Perfil da empresa

Fundada em 1997, fornece serviços e tecnologias para apoio a projetos de engenharia. Com uma visão multidisciplinar, oferece ao mercado recursos de simulação e testes de forma a cobrir as principais necessidades de projeto e validação de produtos. Tem parcerias com empresas líderes no mercado mundial em suas respectivas áreas, representadas na América do Sul. A equipe técnica tem visão não apenas da operação das tecnologias, mas da aplicação em diferentes áreas tais como energia, automotiva, máquinas agrícolas, bens de consumo, máquinas e equipamentos, entre outros. Está organizada em duas empresas, uma voltada à comercialização de software e hardware (Smarttech Tecnologia) e outra à execução de serviços de engenharia (Smarttech Serviços de Engenharia).Dispõe de um Techcenter único no Brasil paraapoiar suas atividades com laboratórios de shakers, atuadores hidráulicos, câmara acústica e pista de teste de ruído. Durabilidade, NVH, Cálculo Estrutural, Multicorpos, Injeção de Plásticos são algumas das disciplinas oferecidas pela Smarttech. O grupo possui base na cidade de Holambra, distante 135 km da capital paulista.

Divisão Assessoria de Imprensa • Rua Álvares de Azevedo, 210 • Cj. 41 • Santo André • SP • Fone/Fax (11) 4435-0000
Divisão Publicações • Rua Álvares de Azevedo, 210 • Cj. 61 • Centro • Santo André • SP • Fone (11) 4432-4000 • Fax (11) 4990-8308