Home | Institucional | Clientes | Releases | Artigos | Produtos e Serviços | Contato

 Release
14/10/2013
Estudantes da Grande SP testam 12 aviões para Competição SAE BRASIL AeroDesign

Universitários da Grande São Paulo construíram 12 aviões para participar da competição de engenharia, em São José dos Campos/SP, de 24 a 27 de outubro

Trabalhar em equipe, projetar e construir uma aeronave rádio controlada capaz de transportar cargas. Esses são alguns dos desafios que 150 estudantes de engenharia da Grande São Paulo enfrentam para participar da 15ª Competição SAE BRASIL AeroDesign, agendada de 24 a 27 de outubro, no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos, SP.

O Estado de São Paulo tem o maior número de equipes inscritas na competição, com 34 participantes, 12 apenas da Grande São Paulo. Ao todo, a competição possui 105 equipes inscritas, que somam cerca de 1,4 mil universitários do Brasil, México, Venezuela e Peru.

Com três categorias de aeronaves: Classe Regular (76 equipes inscritas), Classe Advanced (6) e Classe Micro (23), a competição estimula as equipes projetarem aviões capazes de transportar o maior peso de carga durante o voo.

Na Classe Regular o desafio é carregar madeira do tipo MDF ou HDF (madeira prensada largamente utilizada na fabricação de móveis); enquanto na Classe Advanced, a carga transportada deverá ser água. As aeronaves da Classe Micro deverão transportar bolinhas de tênis.

ABC - A equipe Harpia Aerodesign da Universidade Federal do ABC (UFABC), que também será representada pela Harpia Pampers Aerodesign, projetou um avião 23% menor do que o apresentado em 2012. De acordo com o capitão, Rômulo Aires de Alencar, o projeto deste ano conta com empenagem tipo ‘H’ e o ponto forte é sua estrutura, pois a equipe já trabalha na melhoria contínua desse projeto pelo terceiro ano consecutivo.

A aeronave da equipe inscrita na Classe Regular foi construída com madeira balsa, fibra de carbono, policarbonato e alumínio. Pesa cerca de 3 kg, transporta 9 kg de carga útil e atinge a velocidade de 13 m/s. “Nosso projeto está bem completo e esperamos cumprir todas as baterias de voos”, diz o capitão, 21 anos.

Capital - Representante do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), campus SP, a equipe Taperá Baby, com seis integrantes, concorre pela Classe Micro e levará um avião que pesa 510 g com capacidade de transportar 20 bolas de tênis, ou 1.140 kg.

Segundo Murilo Padovani, capitão da equipe, campeã da classe Micro em 2011, o projeto está com bom nível técnico e bem encaixado no regulamento. “Nosso avião em relação foi diminuído em 50% em relação ao de 2012, o que gerou alterações no tamanho, peso e quantidade de bolinhas transportadas”, explica.

A equipe Aeroduca da Universidade Anhembi Morumbi, composta por 12 estudantes, levará um projeto chamado SDII, que homenageia Santos Dumont.

O avião pesa 3 kg, transporta 8 kg de carga e atinge a velocidade de 15 m/s. De acordo com João Marcos Druzian Filho, capitão da equipe, a principal inovação foi o uso de mantas de fibra de carbono na construção da fuselagem, e na asa poliestireno extrudado, espécie de espuma. “Optamos pela fuselagem inteiriça, monobloco, e construímos uma aeronave monoplana com asa alta, como o C-130 Hercules (aeronave de carga usada na FAB)”, explica.

Da Grande São Paulo participam, ainda, as equipes FEI Regular e FEI Open, do Centro Universitário da FEI; Ícaro, da Universidade Nove de Julho; Keep Flying, Escola Politécnica da USP; Mechane, da Universidade Presbiteriana Mackenzie; e Asterix e Ideiafix, do Instituto Mauá de Tecnologia; e Fatecnautas, da Faculdade de Tecnologia de SP.

Provas - As avaliações e a classificação das equipes serão realizadas em duas etapas: Competição de Projeto e Competição de Voo, conforme o regulamento baseado em desafios reais enfrentados pela indústria aeronáutica e disponível no site da SAE BRASIL - www.saebrasil.org.br.

Ao final do evento, duas equipes da Classe Regular, uma Classe Advanced e uma da Classe Micro, que obtiverem melhores as pontuações ganham o direito de representar o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em 2014, nos EUA, onde equipes brasileiras acumulam histórico expressivo de participações: sete primeiros lugares na Classe Regular, quatro na Classe Advanced e um primeiro lugar Classe Micro. A SAE East Competition é realizada pela SAE INTERNATIONAL, da qual a SAE BRASIL é afiliada.

Organizado pela Seção Regional São José dos Campos, da SAE BRASIL, o Projeto AeroDesign é um programa de fins educacionais que tem como principal objetivo propiciar a difusão e o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de engenharia aeronáutica entre estudantes e futuros profissionais da engenharia da mobilidade, por meio de aplicações práticas e da competição entre equipes, formadas por estudantes de graduação e pós-graduação (stricto sensu), de Engenharia, Física e Tecnologia relacionada à mobilidade.

“As competições estudantis da SAE BRASIL proporcionam aos futuros engenheiros a oportunidade de por em prática as teorias aprendidas nas salas de aula e, assim, desenvolver capacidades e a paixão necessárias a uma boa formação profissional”, afirma o engenheiro Ricardo Reimer, presidente da SAE BRASIL.

Regulamento - Os aviões da Classe Regular deverão transportar madeira do tipo MDF ou HDF (madeira prensada utilizada na fabricação de móveis). Na Classe Advanced, a carga transportada deverá ser água, depositada em tanques montados na fuselagem. As aeronaves da Classe Micro deverão transportar bolinhas de tênis. Na Classe Advanced, a água transportada pela aeronave deverá ser drenada após cada voo, com o tempo de drenagem cronometrado, e a massa da água transportada determinada para fins de pontuação. As aeronaves da categoria podem usar mais de um motor, porém a soma da cilindrada não pode exceder 0,50in3 (8,2cm3).
Já na Classe Regular os aviões são monomotores, com cilindrada padronizada em 10 cc (10cm3 ou 0,61in3). As aeronaves serão menores em relação a 2011, pois a limitação dimensional máxima reduziu cerca de 70cm, porém compartimentos de carga maiores. Os aviões da categoria deverão decolar em uma distância máxima de 50m.
Na Classe Micro, as bolas de tênis a serem transportadas deverão estar num compartimento fechado e não poderão estar presas entre si. Em 2013 as aeronaves deverão decolar de uma pista de até 50m (mesma pista das demais classes). Os aviões da Classe Micro não têm restrições geométricas nem quanto ao número de motores, todos elétricos, porém a equipe deverá ser capaz de transportar a aeronave numa caixa de 0,175m³.

Total de equipes inscritas = 105 (98 em 2012)
№ estrangeiras = 7
№ de equipes brasileiras: 98 (92 em 2012)
№ de instituições de ensino: 76
№ médio de estudantes inscritos: 1450
№ projetos Classe Micro: 23 (19 em 2012)
№ projetos Classe Regular: 76 (73 em 2012)
№ projetos Classe Advanced: 6 (6 em 2012)

SUL

Paraná - (5 equipes / 3 instituições)
UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – equipes Acalantis e UTFalcon
UFPR – Universidade Federal do Paraná – equipes MDP e RPD
FAG – Faculdade Assis Gurgacz – equipe Pegasus

Rio Grande do Sul - (7 equipes / 7 instituições)
UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – equipe Pampa Aerodesign
UCS – Universidade de Caxias do Sul – equipe Aerosul
FAHOR – Faculdade Horizontina – equipe MasBáh
UNISC – Universidade de Santa Cruz do Sul – equipe Kamikase
FURG - Universidade Federal do Rio Grande – equipe AEROFURG
URI – Santo Ângelo – equipe Aeromissões
IFRS - Instituto Federal Rio Grade do Sul Farroupilha – equipe Farrapos

Santa Catarina - (5 equipes / 2 instituições)
UDESC – Universidade do Estado de Sta. Catarina –equipes Albatroz AeroDesign e Albatroz Micro Aerodesign
UFSC – Universidade Federal de Sta.Catarina – equipes Céu Azul Micro, Cem Asas e Céu Azul Aeronaves

SUDESTE

Minas Gerais – (20 equipes / 12 instituições)
UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais – equipe Uai, Sô! Fly!!
UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto – equipe 12 Bis
UFV Florestal – Universidade Federal de Viçosa – equipe Acauã
CEFET-MG – Centro Federal Tecnológico de Minas Gerais – equipes Cefast Aerodesign e Aerotrônica
UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora – equipes Raptor e Microraptor
UFV – Universidade Federal de Viçosa – equipe Skywards
UFV – Universidade Federal de Viçosa Campus Florestal – equipes Acauã e Acauazim
UFSJ – Universidade Federal de São João Del Rei – equipes Trem Ki Voa Micro, Trem Ki Voa e NoizAvua
UFTM – Universidade Federal do Triângulo Mineiro – equipe Triângulo Aéreo
UFU – Universidade Federal de Uberlândia – equipes Tucano e Tucano Micro
UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá – equipes Uirá e Uirá Micro
IF Sudeste MG - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais–equipe IFly
Faculdade Pitágoras – Uberlândia – equipe Apollo
Rio de Janeiro - (7 equipes / 5 instituições)
PUC-RIO – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – equipes AeroRio e AeroRio Micro
UFF – Universidade Federal Fluminense – equipes Blackbird Aerodesign e UFForce Aerodesign
UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro – equipe Minerva Aerodesign
CEFET-RJ – Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro – equipe Venturi
IME – Instituto Militar de Engenharia – equipe ZÉFIRO

São Paulo – (34 equipes / 12 instituições)
Grande São Paulo
FESP – Faculdade de Engenharia São Paulo – equipe Aero Elétrons
Universidade Anhembi Morumbi – equipe Aeroduca
Centro Universitário da FEI – equipes FEI Regular e FEI Open
UNINOVE – Universidade Nove de Julho – equipe Ícaro
POLI USP – Escola Politécnica da USP – equipe Keep Flying
MACKENZIE – Universidade Presbiteriana Mackenzie – equipe Mechane
MAUÁ – Instituto Mauá de Tecnologia – equipes Asterix e Ideiafix
IFSP – Instituto Federal de São Paulo – equipe Taperá Baby
FATEC – Faculdade de Tecnologia de São Paulo – equipe Fatecnautas
UFABC – Universidade Federal do ABC – equipe Harpia Pampers Aerodesign

Interior de SP
ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica – equipes Feng e Leviatã
UFSCAR – Universidade Federal de São Carlos – equipe Dragão Branco e Dragão Branco Micro
EESC USP – Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo – equipes EESC-USP Alpha, EESC-USP Bravo e EESC-USP Mike.
FATEC São José dos Campos – Faculdade de Tecnologia – equipe Megazord
UNIP São José dos Campos – Universidade Paulista – equipe Órion
UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas – equipes Urubus e Urubus Micro
ETEP Faculdades (campus São José dos Campos) – equipe ETEP Flying
IFSP - Instituto Federal de São Paulo – equipe Taperá Girls
IFSP – Instituto Federal de São Paulo campus Sertãozinho - equipe Aerosert
Unisal – Centro Universitário Salesiano de São Paulo – campus Lorena – equipe AeroUnisal
UNESP Guaratinguetá – Universidade Estadual Paulista – equipes Aerofeg e Aerofeg Jr
UNESP Bauru – Universidade Estadual Paulista – equipes FEB Open, FEB Regular e FEB Micro
UNESP Ilha Solteira – Universidade Estadual Paulista – equipe Zebra


Espírito Santo – (1 equipe / 1 instituição)
UFES – Universidade Federal do Espírito Santo – equipe Aero Vitória Espírito Santo

CENTRO-OESTE

Distrito Federal - (2 equipes / 2 instituições)
UNIP-DF – Universidade Paulista do Distrito Federal – equipe Antonov
UnB – Universidade de Brasília – equipe Draco Volans

Mato Grosso - (2 equipes / 1 instituição)
UFMT - Universidade Federal de Mato Grosso – equipes Aeroo e Pantaero

NORDESTE

Bahia - (2 equipe / 2 instituições)
UFB - Universidade Federal da Bahia – equipe Axé Fly
UNIVASF – Universidade Federal do Vale do São Francisco – equipe F-Carranca

Maranhão - (2 equipes / 2 instituições)
UEMA - Universidade Estadual do Maranhão - equipes Zeus Regular
IFMA - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão – equipe Guará

Paraíba - (2 equipes / 2 instituições)
UFPB - Universidade Federal da Paraíba - equipe Aerojampa
UFCG - Universidade Federal de Campina Grande – equipe Parahyasas

Pernambuco – (1 equipe / 1 instituição)
UFPE - Universidade Federal de Pernambuco - equipe Mandacaru Aerodesign

Piauí – (2 equipes / 2 instituições)
UFPI – Universidade Federal do Piauí – equipe Delta do Piauí
IFPI - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Piauí – equipe Sol do Equador

Rio Grande do Norte - (4 equipes / 2 instituições)
UFERJA – Universidade Federal Rural do Semi-Árido – equipe Pegazuls e Calango Voador
UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte – equipes Car-Kará Advanced e Car-Kará Micro

NORTE

Pará - (2 equipes / 1 instituição)
UFPA - Universidade Federal do Pará - equipes UFPA – Aerodesign Regular e Uirapuru Micro

ESTRANGEIRAS

México (3 equipes / 3 instituições)
Universidad Politécnica de Texcoco – equipe Coleos
Instituto Politécnico Nacional – equipe Anáhuac AeroDesign
IPN-ESIME Ticoman – equipe Kukulcan Aerodesign

Venezuela (3 equipes / 2 instituições)
UNEFA - Universidad Nacional Experimental Politécnica de La Fuerza Armada – equipes AerodesignVenezuela e AerodesignVenezuela 2
Universidad Simón Bolívar – equipe Aero Design SAE USB

Peru (1 equipe / 1 instituição)
Universidad Tecnológica del Peru – equipe Tunqui Aerodesign



Mais informações à imprensa:
Maria do Socorro Diogo - msdiogo@companhiadeimprensa.com.br
Ellen Mützemberg- ellen@companhiadeimprensa.com.br
Telefones (11) 4435-0000/ (11) 97204-1921

 Buscar release:
   
 Perfil da empresa

A SAE BRASIL é uma associação sem fins lucrativos que congrega engenheiros, técnicos e executivos unidos pela missão comum de disseminar técnicas e conhecimentos relativos à tecnologia da mobilidade em suas variadas formas: terrestre, marítima e aeroespacial.
A SAE BRASIL foi fundada em 1991 por executivos dos segmentos automotivo e aeroespacial, conscientes da necessidade de se abrir as fronteiras do conhecimento para os profissionais brasileiros da mobilidade, em face da integração do País ao processo de globalização da economia, ora em seu início, naquele período. Desde então a SAE BRASIL tem experimentado extraordinário crescimento, totalizando mais de 6 mil associados e 10 seções regionais distribuídas desde o Nordeste até o extremo Sul do Brasil, constituindo-se hoje na mais importante sociedade de engenharia da mobilidade do País.
A SAE BRASIL é filiada à SAE INTERNATIONAL, associação com os mesmos fins e objetivos, fundada em 1905, nos EUA, por líderes de grande visão da indústria automotiva e da então nascente indústria aeronáutica, dentre os quais se destacam Henry Ford, Orville Wright e Thomas Edison, e tem se constituído, ao longo de mais de um século de existência, em uma das principais fontes de normas, padrões e conhecimento relativos aos setores automotivo e aeroespacial em todo o mundo, com mais de 35 mil normas geradas e mais de 138 mil sócios distribuídos por cerca de 100 países.

Divisão Assessoria de Imprensa • Rua Álvares de Azevedo, 210 • Cj. 41 • Santo André • SP • Fone/Fax (11) 4435-0000
Divisão Publicações • Rua Álvares de Azevedo, 210 • Cj. 61 • Centro • Santo André • SP • Fone (11) 4432-4000 • Fax (11) 4990-8308