Home | Institucional | Clientes | Releases | Artigos | Produtos e Serviços | Contato

 Release
02/02/2011
Economize com pequenas mudanças de hábito


Por Wilson Pires *

O ano de 2011 está apenas começando e este é um excelente momento para repensarmos nossos hábitos de consumo, já que com pequenos ajustes de comportamento é possível economizar dinheiro para o futuro. Assim, poderemos adquirir bens e serviços que nos tragam satisfação. Basta fazer uma revisão dos gastos.

Inicie conhecendo sua real situação financeira. Coloque no papel suas receitas e despesas mensais. Quanto às receitas não se tem grandes problemas, pois, geralmente, elas vêm de uma ou duas fontes de renda como salários, alugueis e juros. Os recebimentos podem ser acrescidos com trabalhos extras, por exemplo, mas não é interessante que isso seja por muito tempo, já que passará a ser incorporado ao orçamento e não mais se tornará um dinheiro “a mais”, além de a pessoa trabalhar mais para isso.

O grande problema mora nos gastos que temos durante o mês. Destes gastos, que não podem ser maiores que as receitas, precisamos ver suas representatividades, quais deles nos fazem desembolsar mais dinheiro.
Pronto! Com esta informação pode-se atacar. Gerar esforços com aquilo que trará mais resultados para você ou sua família. Para completar, algumas dicas podem ajudar a reduzir as principais despesas da família brasileira

Em educação, caso haja pagamento de escolas particulares e/ou cursos de idiomas para os filhos, precisamos nos perguntar e pesquisar se não há escolas com a mesma qualidade, porém com preços inferiores. Havendo, pleiteie descontos na escola atual. Aqui, não vale abrir mão de qualidade!

No assunto transporte, a sua forma de locomoção é a mais adequada considerando a relação custo x benefício? Se possuir carro você realmente precisa dele? Não seria mais barato utilizar o transporte coletivo? Considere nos cálculos, não somente o combustível gasto, mas a manutenção, seguro, IPVA, DPVAT, risco de colisões, estacionamentos etc.

No item alimentação, procure fazer mais refeições em casa, pois a comida comprada no supermercado e preparada em seu lar é muito mais barata do que a consumida em restaurantes, mesmo que estes sejam de menor custo. A preparação dos pratos pode ser inclusive um momento para unir a família.

Na parte de vestuário, antes de comprar roupas novas, arrume seu guarda-roupa e veja se não possui algumas peças que você tem e esqueceu dentro dele. Pergunte-se: você realmente precisa de mais roupas?
Comunicação é outro item no qual destacamos telefone (fixo e celular), conexão à Internet e TV a cabo. Você não está pagando muito por estes serviços? Não dá para contratar um pacote mais barato que supra as necessidades da família? Não daria para usar menos o telefone fixo? É realmente imprescindível tantos minutos de comunicação pelo celular?

Acredito que lazer seja um dos tópicos mais problemáticos do orçamento. Opte por formas de diversão mais baratas, como assistir a um DVD com a família ou amigos em casa. Vocês podem alugá-lo, comer pipoca (feita em casa) e ainda pedir pizza para jantar. Pode ter certeza que sai muito mais barato do que ir ao shopping, numa grande rede de cinemas, comprar pipoca e depois comer na praça de alimentação. Aliás, shopping não é lugar para passear. Eles servem para você comprar coisas que efetivamente precisa.

Geralmente há shows gratuitos, ou com baixo custo, oferecidos pelas prefeituras. Além disso, pergunte a si mesmo se você conhece a sua cidade. Parques, museus, zoológicos, festas típicas são opções baratas de lazer.

Também não gaste muito dinheiro com computadores, aparelhos eletrônicos, periféricos entre outros. Esses bens ficam “velhos” muito rapidamente, por isso compre somente o que de fato usará e retardar ao máximo a troca. Além de economizar dinheiro irá contribuir com o meio ambiente, já que reduzirá a quantidade de lixo tecnológico na natureza.

Observar os juros e taxas bancárias também pode ajudar a reduzir as despesas. Controlando adequadamente suas finanças, não haverá a necessidade de pagar juros pela utilização do dinheiro de instituições financeiras, seja no cartão de crédito, cheque especial ou empréstimo pessoal. Também negocie tarifas bancárias. Uma boa forma de fazer isso é concentrar todos os recursos em um único banco, aumentando o relacionamento e solicitando descontos nas tarifas cobradas por ele.

Outra dica é quando for às compras, só saia de casa com uma lista de tudo que precisa comprar e adquira somente o que estiver nela. Isto evita a chamada “compra por impulso” que, geralmente, é responsável por grandes gastos desnecessários. Isso vale tanto para o supermercado como para roupas, brinquedos, presentes etc.

Uma última dica é sempre se perguntar se aquilo que está comprando é realmente necessário e pensar qual o benefício ou satisfação que o produto ou serviço trará a você. Procure, também, reduzir consumos de água, energia elétrica, gás entre outros. E lembre-se: dinheiro serve para nos dar qualidade de vida! Experimente seguir as dicas sugeridas, passando a viver melhor com mais organização e menos preocupações.


* Wilson Pires é professor do curso de Administração do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana)

 Buscar release:
   
 Imagens
Clique nas imagens para salvá-las em maior resolução
Wilson Pires é professor do curso de Administração do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana)
 Perfil da empresa

Site:

Divisão Assessoria de Imprensa • Rua Álvares de Azevedo, 210 • Cj. 41 • Santo André • SP • Fone/Fax (11) 4435-0000
Divisão Publicações • Rua Álvares de Azevedo, 210 • Cj. 61 • Centro • Santo André • SP • Fone (11) 4432-4000 • Fax (11) 4990-8308